Google+ Badge

Estamos Aqui Também

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

ACADEMIA PLANET HEALTH SAÚDE - Osteoporose não está ligada somente ao envelhecimento; saiba como evitar a doença


Caracterizada pela degradação e redução da estrutura óssea, a osteoporose está atrelada a uma série de fatores e não apenas à hereditariedade, ao envelhecimento e à perda natural das células que formam o esqueleto. O estilo de vida adotado na adolescência e na fase adulta também tem importância fundamental, pois pode tanto propiciar como prevenir ou retardar o aparecimento da doença, que já atinge 10 milhões de brasileiros, segundo o Ministério da Saúde.

Isso acontece porque o pico de formação dos ossos é atingido entre a adolescência e os 35 anos de idade, como explica o ortopedista Fernando Moisés José Pedro, gerente-médico do Hospital Alvorada. Por esse motivo, a constituição de uma estrutura forte nessa fase é essencial para sua adequada manutenção no futuro. "Um aumento de 10% no índice de massa óssea nos jovens diminui em 50% o risco de fratura por osteoporose na vida adulta", declara.

O reumatologista Roberto Heymann, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), afirma que para conquistar um esqueleto "reforçado", o tabagismo e a ingestão excessiva de café e bebidas alcoólicas devem ser evitados ou mesmo eliminados. O sedentarismo, o consumo insuficiente de alimentos fontes de cálcio e vitamina D e a baixa exposição solar são outros hábitos de risco.

Influências hormonais

As mulheres devem ter uma preocupação ainda maior, pois constituem as vítimas mais numerosas da doença. "A osteoporose é mais comum no sexo feminino por dois motivos: entre elas, os ossos são mais leves e finos. Além disso, na menopausa ocorre uma deficiência do hormônio estrogênio, que tem influência direta nas células ósseas", esclarece Pedro.

Heymann acrescenta que 30% das mulheres saudáveis desenvolvem o problema ao cessarem seus ciclos menstruais. Aquelas que foram submetidas à cirurgia de remoção de ovários e não fizeram reposição de estrógenos e as que iniciaram tardiamente seus ciclos menstruais também são alvos da doença, segundo o especialista.

A osteoporose também atinge o sexo masculino, embora numa proporção menor. O gerente-médico do Hospital Alvorada explica que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), acima dos 50 anos, 30% das mulheres são acometidas pela doença, enquanto entre os homens a proporção é de 10%.

Eles são menos suscetíveis por terem ossos mais fortes e largos, mas a combinação da perda de elementos minerais com a baixa produção de testosterona, a manutenção de hábitos não saudáveis e a presença de antecedentes na família com a doença pode acelerar a deterioração da massa óssea.

Doenças preexistentes



Além dos fatores mencionados acima, o problema pode se manifestar como consequência de outras doenças, como informa Heymann. Hiperparatireoidismo, linfoma, leucemia, mieloma múltiplo, artrite reumatoide, sarcoidose e doença de Cushing são alguns exemplos desses casos.

Alguns medicamentos utilizados por longo prazo podem ter o mesmo efeito. "A National Osteoporosis Foundation (instituição norte-americana dedicada à prevenção da doença) cita entre os fatores de risco o uso de glicocorticoides via oral, um grupo de fármacos utilizados como imunossupressores e anti-inflamatórios", pontua Pedro.

Diagnóstico precoce

A densitometria óssea é o método mais indicado para diagnosticar a doença, inclusive precocemente. "O exame deve ser feito por mulheres que estão entrando na fase de menopausa, homens acima de 65 anos e indivíduos de qualquer idade expostos aos fatores de risco", esclarece o especialista da Unifesp.

Sua realização é fundamental, pois a patologia é assintomática. Ou seja, não há qualquer indício que aponte sua existência além da ocorrência das próprias fraturas, sua principal consequência. "Elas podem ocorrer por traumas mínimos ou mesmo sem relação a trauma algum", fala o reumatologista. Redução de altura e aumento da curvatura dorsal (corcunda) são outros indícios importantes.

Entre as fraturas mais frequentes, Heymann menciona as das vértebras das colunas dorsal e lombar, a do colo do fêmur e a do antebraço. "A do fêmur é a mais grave, pois além de causar dor intensa, demanda um procedimento cirúrgico para colocação de prótese", esclarece.

Os tratamentos baseiam-se na prescrição de medicamentos para aumentar a resistência dos ossos sem, no entanto, recuperar a massa óssea perdida ou curar a doença. "Independente do tratamento medicamentoso escolhido, todos os portadores devem ter uma ingestão adequada de cálcio e vitamina D", reforça.

Alerta constante

"Por terem ossos mais frágeis, os pacientes com osteoporose precisam evitar quedas a todo custo. Elas constituem a principal causa de morte acidental entre os indivíduos com mais de 65 anos de idade", alerta o especialista do Hospital Alvorada.

Em função disso, algumas adaptações no ambiente doméstico são altamente recomendadas. Reforço na iluminação e instalação de pisos antiderrapantes, barras de apoio nos banheiros e corrimão nas escadas são algumas sugestões. "O ideal é que a pessoa também tenha um quarto para dormir próximo ao banheiro", acrescenta Pedro.

"Também é recomendável realizar visitas regulares ao médico para ajuste das doses dos medicamentos, principalmente aqueles que podem causar diminuição do nível de consciência, como os anti-hipertensivos e hipoglicemiantes orais", completa.

Prevenção e contenção

O cálcio é o principal elemento para prevenir e conter o desgaste da massa óssea. A nutricionista Marisa Chiconelli Bailer, do Hospital Samaritano, informa que a recomendação diária do nutriente é de 1.200 mg ou 1.500 mg no caso de mulheres na menopausa.

Em termos práticos, o valor pode ser alcançado com o consumo de um copo de 200 ml de leite (integral ou desnatado) e duas fatias de queijo branco no café da manhã, um pote de iogurte de 200 ml e uma porção de requeijão no lanche da tarde e mais um copo de leite de 200 ml à noite. Quem sofre com intolerância à lactose pode recorrer a outros alimentos fontes do nutriente como espinafre, couve-manteiga, escarola, agrião, brócolis, sardinha e leite de soja enriquecido.

Uma adequada ingestão de vitamina D também é importante, pois melhora o aproveitamento do cálcio no organismo. Ela pode ser encontrada, por exemplo, em ovos, peixes, ostras e óleo de fígado de peixe. Contudo, sem exposição solar, a vitamina não pode ser sintetizada. Ou seja, é preciso incluir nas recomendações banhos de sol de pelo menos 15 minutos por dia. Em alguns casos, os médicos podem ainda prescrever suplementos vitamínicos, segundo a especialista.

"Diversos artigos publicados tanto no Brasil, como em outros países, mostram que quando uma população apresenta um consumo satisfatório de cálcio e vitamina D, a incidência de osteoporose é menor quando comparada a grupos que apresentem ingestão inferior", declara.

Em sua avaliação, a dieta média do brasileiro não supre as necessidades recomendadas, o que torna necessária uma mudança nos hábitos alimentares. Na infância e na adolescência, as orientações devem ser seguidas com um rigor ainda maior, pois, nesses períodos são formadas as reservas ósseas para a fase adulta e a velhice.

A prática de exercícios é igualmente recomendada. "A atividade física estimula a formação óssea", afirma Pedro. Mesmo entre os idosos, o conselho se aplica, pois age na fragilidade dos ossos e na prevenção de quedas, uma vez que "melhora o equilíbrio e as reações de defesa e reflexo".

Fonte:Uol 9/1/2013

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

ACADEMIA PLANET HEALTH NOTÍCIAS - UM ANO SEM ANFETAMINA NO BRASIL

Há um ano, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) retirou das prateleiras farmacêuticas os remédios femproporex, anfepramona e mazindol.

As composições eram utilizadas para tratamentos contra a obesidade. Porém, a maioria desses pacientes alega que não conseguem emagrecer com apenas a dieta e exercícios físicos. Sem esses medicamentos no mercado foi registrado um aumento de doenças inter-relacionadas, como a diabetes e hipertensão. Endocrinologistas afirmam que muitos pacientes que controlavam o peso com o auxílio das fórmulas, engordaram. A obesidade é uma doença crônica, que em parâmetro mundial, está sendo considerada uma epidemia.

Atualmente, o único medicamento destinado a este fim e legalizado é a sibutramina, que não possui anfetamina em sua fórmula, porém para alguns pacientes não é considerada eficaz. Dados da Anvisa de 2010 mostram que 1,7% dos obesos brasileiros foram indicados a utilizar a sibutramina, ou seja, nem sempre os emagrecedores são as principais recomendações dos médicos. Porém, para alguns pacientes os medicamentos são a única solução. No caso, os remédios são indicados para pessoas com o IMC acima de 30, ou que tenham problemas de sobrepeso mais alguma doença associada. De acordo com o presidente da Anvisa, Dirceu Barbano, não existem perspectivas de que a anfetamina retorne ao mercado.

*Por Aline Fraga, jornalismo Portal EF

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

ACADEMIA PLANET HEALTH NOTÍCIAS - Mundo terá 1 bilhão de idosos em dez anos e falta estratégia, adverte ONU

Notícias - Internacional


O mundo terá 1 bilhão de idosos dentro de dez anos e os países devem adotar estratégias próprias, em especial na área de saúde, para assegurar o bem-estar presente e futuro desse segmento da população. O alerta é de um relatório divulgado ontem, em Genebra, pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA, na sigla em inglês).
De acordo com a ONU, 1 em cada 9 pessoas no mundo tem 60 anos ou mais (o equivalente a 11,5% da população mundial) e o envelhecimento, embora seja um fenômeno comum a nações ricas e pobres, está aumentando mais rapidamente nos países em desenvolvimento - onde vivem 2 de cada 3 pessoas idosas.
Na última década, o número de idosos no mundo aumentou em 178 milhões de pessoas. A cada segundo, 2 pessoas celebram o 60.º aniversário. O relatório atribui o crescimento dessa faixa a melhoras na nutrição, nos avanços da medicina, nos cuidados com a saúde, no ensino e no bem-estar econômico.
Esse conjunto de fatores fez crescer substancialmente a expectativa de vida no mundo - hoje, de 78 anos nos países desenvolvidos e de 68 anos nas regiões em desenvolvimento. Em 2050, a população idosa mundial deverá atingir 2 bilhões de pessoas.
A questão é como enfrentar esse crescimento. "As implicações sociais e econômicas deste fenômenos são profundas, estendendo-se para muito além do idoso e sua família, alcançando a sociedade inteira", afirma o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.
Por essa razão, o relatório sugere a adoção de novas políticas, estratégias, planos e leis específicos para os mais velhos. Hoje, 47% dos idosos e 23,8% das idosas participam da força de trabalho. O drama é quando eles deixarem de trabalhar. Apenas um terço dos países do mundo, que somam 28% da população mundial, conta com planos de proteção social abrangente para os idosos. Nos países em desenvolvimento, os custos com pagamento de pensão para a população idosa variam de 0,7% a 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB).
Furo. No Brasil - que tem 23,5 milhões de idosos, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2011 -, a questão previdenciária também é apontada como o principal problema decorrente do envelhecimento, segundo o geriatra Fernando Bignardi, coordenador do Centro de Estudos do Envelhecimento da Unifesp. "Todo o processo foi calculado para pessoas que viveriam até 70 anos. Com o aumento dos anos de vida, está havendo um furo no cálculo. Agora é preciso pensar em como garantir uma renda mínima para as pessoas que estão envelhecendo", diz.
O segundo problema, para ele, é que a medicina convencional não se preparou para atender os idosos. "A medicina convencional atribui a cada diagnóstico, um tratamento. Não é incomum encontrar um idoso com a prescrição de 80 cápsulas por dia."
O relatório adverte que saídas precisam ser adotadas desde já. Hoje, apenas o Japão tem um índice de idosos que corresponde a mais de 30% da população. Por volta de 2050 - quando haverá mais idosos que crianças menores de 15 anos em todo o mundo-, outros 64 países farão parte deste grupo.





Fonte:Estadão 3/10/2012


ACADEMIA PLANET HEALTH SAÚDE E BEM ESTAR - Faça da alimentação seu escudo contra a poluição

A poluição atmosférica é caracterizada pela concentração de gases tóxicos e partículas sólidas no ar eliminadas por indústrias, veículos automotores, usinas térmicas, sistemas de aquecimento doméstico, entre outros. A pecuária é considerada atualmente o maior emissor de metano, um dos gases mais poluidores do efeito estufa (que aumenta a temperatura do planeta), este gás é mais duradoura na atmosfera do que o dióxido de carbono emitido pelos automóveis.
Esses poluentes chegam aos nossos pulmões e desencadeiam reações de nosso sistema imunológico, levando a produção de substâncias de efeito inflamatório e de radicais livres. O processo inflamatório pode levar ou agravar doenças respiratórias como asma, rinite, bronquite, doenças cardiovasculares, desordens neurológicas, artrite, câncer e envelhecimento precoce.
Para auxiliar no combate aos efeitos prejudiciais da poluição é fundamental oferecer através da alimentação nutrientes que irão auxiliar no fortalecimento de nosso sistema de defesa, no combate aos radicais livres e na redução do processo inflamatório.

O que não pode faltar no cardápio?

- Cereais Integrais - boas fontes de vitaminas do complexo B, que auxiliam no processo de destoxificação  que promove a eliminação de toxinas de nosso organismo.

- Oleaginosas - ricas em gorduras insaturadas que ajudam a modular e reduzir o processo inflamatório. A castanha do Brasil é fonte de selênio, mineral de potente efeito antioxidante. Boas fontes de magnésio, mineral importante para eliminação de toxinas do organismo.

- Frutas cítricas - como o limão e a laranja, ricas em vitamina C de efeito antioxidante, ajudam no combate ao envelhecimento precoce e desenvolvimento de doenças degenerativas.

- Mamão, manga, cenoura e abóbora - fontes de carotenoides de ação antioxidante e desintoxicante.
- Semente de linhaça, semente de chia e cápsula de óleo de peixe - fontes de ômega 3 de ação anti-inflamatória e antioxidante.
- Suco de uva e cranberry - ricos em antocianina que apresenta ação antioxidante.

- Chá Verde - preparado através da infusão da planta Camellia sinensis, é fonte de catequinas que apresentam importante ação antioxidante. Evita danos celulares que promovem a iniciação do desenvolvimento de tumores. Possui ação imunoestimulante, fortalecendo o sistema imunológico.

- Cúrcuma - também chamada de açafrão. Fonte de curcumina, de ação antioxidante, protege contra doenças cardiovasculares e também contra iniciação e desenvolvimento de tumores.

- Óleo de coco - rico em vitamina E, que atua na diminuição do processo de envelhecimento das células, e na proteção a doenças crônicas não transmissíveis como câncer e doenças cardiovasculares. Possui em sua composição o ácido láurico, que apresenta efeito imunoestimulante.

- Clorofila - desintoxicante e depurativa do organismo, reforça o sistema imunológico, neutralizando as toxinas e aumentando o número de anticorpos.

- Gengibre - é imunoestimulante e desintoxicante.

- Gérmen de trigo - rico em vitamina E, que é um potente antioxidante.

- Geleia Real - estimula o sistema imunológico e possui ação antioxidante.

- Pólen - rico em proteínas, vitaminas e minerais que ajudam na formação de anticorpos, fortalecendo o sistema imunológico.

Fonte:Área de treino 3/10/2012

ACADEMIA PLANET HEALTH NOTÍCIAS - Modelo de escola com foco na prática esportiva chega ao Brasil

Há mais de 30 anos, é comum escolas no exterior valorizarem a prática esportiva em sua metodologia.
Países como Estados Unidos, Canadá, Cuba e Cingapura são os que mais apostam em exercícios físicos em sua grade escolar. Pensando nisso, o Ginásio Experimental Olímpico (GEO), no bairro de Santa Tereza, no Rio de Janeiro, trouxe esse modelo de escola para o País. Os estudantes do GEO, que foi fundado no início do ano, tem a oportunidade de ter uma formação escolar com ênfase no esporte.
Os alunos, que entram às 7h30 e saem apenas às 17h, dividem o tempo entre as salas de aula e as práticas esportivas. Na escola, é possível treinar atletismo, futebol, natação, tênis de mesa, judô, handebol, vôlei e xadrez. Para montar o GEO, a prefeitura do Rio de Janeiro investiu mais de R$ 10 milhões e contou com diversas doações. O gasto mensal médio por aluno é de R$ 700, quase o dobro dos R$ 359 investidos nas escolas convencionais do município. Para saber mais sobre o projeto, acesse:http://ginasioexperimentalolimpico.net.


*Por Aline Fraga, jornalismo Portal EF

ACADEMIA PLANET HEALTH SAÚDE E BEM ESTAR - 7 horas diárias de sono afasta o risco de diabetes

Um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, afirma que dormir pelo menos 7 horas por dia evita o aparecimento de doenças como diabetes e obesidade.
A pesquisa, publicada no periódico Sleep, foi realizada com jovens entre 15 e 18 anos. O estudo revelou que os adolescentes poderiam reduzir a resistência à insulina em 9% se dormissem mais. Através de exames de sangue e um diário de sono escrito semanalmente por todos os 245 jovens, foi possível chegar a essa conclusão.
De acordo com a coordenadora da pesquisa, Karen Matthews, é a primeira vez que uma pesquisa relaciona o sono com resistência à insulina tanto para obesos e não obesos. Os resultados indicam que independentemente de gênero, raça, idade ou índice de massa corporal, o sono está associado ao metabolismo das pessoas.


*Por Aline Fraga, jornalismo Portal EF

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

ACADEMIA PLANET HEALTH NOTÍCIAS - Obesidade e Musculação - Um caminho para o tratamento

A musculação é o melhor caminho para tratar a obesidade, mas a discriminação contra obesos nas academias é um grande obstáculo.
Porque a musculação é o melhor caminho para perder peso?

O número de pessoas obesas vem aumentando assustadoramente no mundo todo. Nos estados unidos, estima-se hoje um percentual de mais ou menos 50% da população com peso bem acima dos limites ideais e no Brasil já chegamos a quase 40% da população com sobrepeso. O sedentarismo, o conforto e as comodidades da vida moderna, tais como elevador, escada rolante, controle remoto, automóvel, transportes em geral, aparelhos eletro-eletrônicos e, ainda, a televisão e o micro-computador, são responsáveis por grande parte da gordura que se acumula nas pessoas. estastísticas também demonstram que os adolescentes desta década tem cerca de 15% menos massa óssea do que os da década passada, em decorrência dos computadores domésticos e video games, os quais levam ao sedentarismo.
Quais são os principais causas do sedentrarismo?

Diariamente, milhões de obesos buscam curas milagrosas para eliminar gordura, como dietas da moda, chás, remédios vendidos por telefone, simpatias e outras inutilidades lucrativas. Como endocrinologista, posso afirmar, com todo o respaldo científico, que a obesidade é uma doença metabólica genética, e, portanto, hereditária. e, como os alimentos estão cada vez mais gordurosos, calóricos, apetitosos pelo apelo de televisão, come-se mais comida "engordativa" e gasta-se cada vez menos. Qual, então, a melhor conduta para um tratamento eficiente? evidentemente, deve-se reduzir as quantidades de calorias ingeridas(principalmente as que sejam provenientes de alimentos com gorduras) e aumentar o gasto diário, principalmente às custas de atividade física.
Vemos diariamente pacientes obesos sendo orientados para praticar atividades físicas aeróbicas,ou seja, esteira, bicicleta, corrida, ginástica aeróbica, pois, segundo a maioria, são só essas atividades que emagrecem, o que realmente não é verdade. após anos de consultório, com avaliação de resultados práticos, leitura de trabalhos científicos, acompanhamento de pacientes em academias, podemos afirmar que, com toda a certeza, a melhor atividade física a se recomendar para os obesos é a musculação, por vários aspectos;
Quem perde mais gordura os exercícios aeróbios ou a musculação ?
A maioria dos pacientes obesos que procura tratamento e orientação está sem atividade física e, portanto, sem condicionamento cardiovascular.Desta forma, é até perigosa a pratica de atividade aeróbia sem acompanhamento cardiológico; - por não terem condicionamento, esses pacientes atingirão a fadiga muito rapidamente, levando à desistência da atividade, por causa da combinação cansaço / falta de resultados práticos; - com a musculação, o paciente pode dosar a velocidade e a carga dos pesos utilizados, bem como o número de repetições, que será ajustado progressiva e gradativamente, sem sobrecarga cardíaca; - com a musculação, ocorre aumento da massa muscular (massa magra), o que leva ao aumento do metabolismo, que é a quantidade de calorias que o indivíduo gasta em repouso, dormindo. Ou seja, quanto maior for a quantidade de massa muscular mais calorias se gastam, mesmo quando não se esta treinando.
Porque a musculação é melhor escolha para começar a prática de exercícios físicos?
Já no trabalho aeróbico ocorre queima durante a atividade física depois não, portanto nos dias em que não há treino, não há queima , ocorrendo o contrário com o praticante de musculação; - com o emagrecimento o simples fato de estar mais leve faz com que o obeso passe a gastar menos calorias e, as vezes, o tratamento emperra, mesmo que o paciente continue na mesma dieta. a musculação, pelo que já foi dito, evita que o paciente pare de emagrecer;- a melhora do tônus muscular faz com que haja redução do volume de abdomen, evitando-se bastante o fenômeno da flacidez subsequente ao emagrecimento. Harmoniza-se com muito mais resultado a estética corporal, com resultados visuais muito mais rápidos e evidente, uma recompensa que evita a desistência,;- a aptidão para as atividades do dia-a-dia melhora consideravelmente.; - os níveis de serotonina, beta-endorfina e hormônio de crescimento aumentam, dando uma sensação de bem estar e juventude ao paciente, sem contar, do ponto de vista psicológico, a auto-estima é bastante estimulada;- para a prática de musculação, os horários são livres, não havendo o problema ou a desculpa de faltar por ter perdido a hora ou por falta de tempo;- com o aumento da massa muscular, a restrição alimentar, pelo menos em quantidade, pode ser menos drástica, dando mais liberdade, o que não tira do paciente o prazer de comer.
Quais as vantagens da musculação no processo de emagrecimento?
Poderíamos ficar enumerando muitos outros pontos positivos, mas vamos falar um pouco dos negativos, que podem ser evitados por bons profissionais. Um dos riscos, que ocorrem com frequência, é o não cuidado redobrado com pacientes hipertensos, com lesões de coluna pré-existentes, joelhos,bem como patologias ortopédicas. Há como se evitarem lesões de treinamento não se prescrevendo exercícios potencialmente, lesivos e corrigindo postura e anatomia do movimento, inclusive otimizando resultados até para quem não tem lesões prévias. Constragimento, que seria uma auto-discriminação, por não aceitação da própria imagem. Essa não aceitação pode ser utilizada positivamente como estímulo e busca de um objetivo. Felizmente, vejo cada vez mais adeptos da musculação, sejam homens, mulheres, gordos ou magros, e os benefícios à saúde certamente serão frutos que , um dia, mais e mais pessoas poderão colher.

Dr Joao Alberto Ferreira de Mattos especializado em ndocrinologia e medicina ortomolecular, membro da associacao Brasileita de Estudos da Obesidade, presta assessoria médica a academias particulares.

Últimas Notícias

Confira Hoje!